JESUS, NOSSO ETERNO DEUS!



A Bíblia afirma que Jesus é desde o princípio.' 'No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus" (Jo 1.1,2). Assim como Deus é desde a eternidade (SI 90.2), assim também Jesus o é! A Bíblia afirma que Ele é antes de todas as coisas (Cl 1.17). "...Desde os dias da eternidade" (Mq 5.2). Jesus mesmo disse: "...Antes que Abraão existisse eu sou (Jo 8.58b). Em Provérbios 8.22-31, temos uma descrição dos seus caminhos antes das suas obras mais antigas.

I. A PREEXISTÊNCIA ETERNA DE JESUS

1. Jesus, antes da fundação do mundo, o plano de salvação

Deus, na sua onisciência, previu desde a eternidade, que o homem, a ser criado, haveria de cair em pecado, sujeito à perdição eterna. Ele então, no seu grande amor, preparou o caminho da salvação, por meio do sacrifício de seu próprio Filho Jesus; Jesus participou deste planejamento e desde então estava disposto a dar a sua vida pela humanidade. Por isto a Bíblia se expressa: "...O Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo'' (Ap 13.8b). A vida eterna foi-nos prometida "...antes dos tempos dos séculos" (Tt 1.2) quando Deus nos elegeu para em Jesus sermos santos e irrepreensíveis (Ef 1.4).

2. Jesus também participou com Deus da criação do mundo.

A Bíblia afirma "...Tudo foi criado por ele e para ele" (Cl 1.16b) e "ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele" (Cl 1.17). Lemos em João 1.3: "Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez".

LEIA TAMBÉM:

II. JESUS É O VERDADEIRO DEUS

A deidade de Jesus é muito combatida pelos teólogos modernistas. Porém a deidade de Jesus é uma rocha inabalável que permanece eternamente como fundamento de toda a fé. Iremos agora estudar as provas que a Bíblia oferece sobre a deidade de Jesus, porque a Bíblia foi escrita para que todos creiam que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus (Jo 20.31).
Iremos, pois, agora, analisar as seguintes evidências que provam a deidade de Jesus:
1. São usados nomes divinos sobre Jesus!

a) O Deus Pai, chamou a Jesus, Deus.
Do Filho diz: ...Ó Deus, o teu trono subsiste..." (Hb 1.8). Duas vezes Deus fez ouvir a sua voz do Céu, chamando a Jesus: "...Meu Filho amado..." (Mt3.17; Mc 9.7). Se Deus chama Jesus de seu Filho, aquele que nega que Jesus é Filho de Deus, faz o próprio Deus de mentiroso "...porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu" (1 Jo5.10).

b) O anjo, enviado por Deus para Maria, chamou a Jesus: "Filho de Deus" (Lc 1.35). Ele também disse: "Chamá-lo-ão | Emanuel, que traduzido é Deus conosco" (Mt 1.23). Quando Jesus / nasceu, os anjos cantaram louvores a Cristo Senhor (Lc 2.11).

c) O próprio Jesus se chamou "Deus". Quando Jesus confirmou diante de seus inimigos que Ele era o Filho de Deus, Ele foi condenado à morte (Mc 14.61,62).

Ele chamou Deus de meu Pai (Mt 10.32; Jo 2.16; 10.37; 15.24 etc.), e referiu-se a si mesmo como o Filho Unigênito que está no seio do Pai (Jo 14.9,12). Para a mulher samaritana Ele testificou que era o Messias (Jo 4.25,26) e isto inspirou aquela mulher a levar a notícia para a sua cidade (Jo 4.29). Falando a João, na ilha de Patmos, Jesus se apresentou como o Alfa e o Omega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro (Ap 22.13). Ele se chamou Eu Sou (Jo 8.24,28,38), o mesmo nome com que Deus se apresentou (Êx 3.14).

d) Os apóstolos testificaram que Jesus era Deus.

1. João Batista disse que Jesus era o Filho de Deus (Jo 1.34).

2. Pedro testificou: "...Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo'' (Mt 16.16b). Ele também o chamou o Santo (At 3.14)e"...O nosso Deus e Salvador, Jesus Cristo (2 Pe 1.1 b). Ele disse que Jesus Cristo é o Senhor de todos (At 10.36) (Jesus é na Bíblia chamado Senhor mais de 100 vezes).

3. Paulo disse que Jesus era o próprio Filho de Deus (Rm 8.32) e falou da glória do "...grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo" (Tt 2.13b), e disse que Jesus, segundo a carne é "...Deus Bendito Eternamente" (Rm 9.5b).

4. João escreveu que Jesus era o Verbo eterno (Jo 1.1) o Unigênito do Pai (Jo 1.14) o Verdadeiro Deus (1 Jo 5.20).

5. Tomé chamou a Jesus de "...Senhor meu e Deus meu" (Jo 20.28b).
6. Todos os que em todos os tempos receberam a salvação, têm dado o mesmo testemunho que os novos crentes em Samaria deram:' '...Sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo" (Jo 4.42b).

7. Aqueles que negam a deidade de Cristo são inspirados pelo espírito de Anticristo (1 Jo 2.22,23). Se Jesus fosse, como os modernistas afirmam, um produto da união entre Maria e José ou de Maria com qualquer outro homem, o mundo não teria nenhum Salvador, e Jesus seria um desacreditado, porque afirmou que Ele era o Filho de Deus. Glória a Jesus! Jesus é Deus bendito eternamente (Rm 9.5; Jo 5.23,24; SI 2.12; Fp 2.10), todo o céu o adora (Ap 5.13,14).

2. Jesus possui atributos divinos

a) Onipotência.

Jesus disse:''.. .É-me dado todo poder no céu e na terra'' (Mt 28.18b). Ele tem poder sobre a natureza (Lc 4.38- 40) sobre os demônios (Mt 8.16; 9.35) e até sobre a morte (Jo 11.43,44). Ele tem poder para guardar (Jo 10.28), e tudo está sujeito debaixo de seus pés (Hb 2.8) e Ele sustenta todas as coisas com a palavra do seu poder (Hb 1.3).

b) Onisciência.

Pedro disse para Jesus: "...Tu sabes tudo..." (Jo 21.17). Jesus sabia os segredos dos homens (Jo 6.6; 4.16-19; 2.24; Mc 2.8; Rm 2.16).

c) Onipresença.

Jesus afirmou: "...Estou convosco todos os dias..." (Mt 28.20) e Ele prometeu que quando dois ou três estivessem reunidos em seu nome, Ele estaria presente (Mt 18.20). Como cabeça da Igreja (Ef 1.22,23; 4.10) Ele predomina todas as coisas.
d) Jesus possui a eternidade em si (Is 6.9; Dn 7.14; Mq 5.2; Cl 1.17; Jo 1.3,27).
e) Jesus está cheio de uma imensidade de glória (Jo 1.14; 2.14; Mt 16.27; Cl 2.9).
f) Jesus possui imutabilidade (Ml 3.6; Hb 13.8; 1.12).

3. Jesus recebe adoração

A Bíblia proíbe adoração a qualquer que não seja Deus (Mt 4.10; Ap 22.8,9; At 10.25,26). Por isto Jesus, porque é o Filho de Deus, recebe adoração (Jo 20.20; Mt 14.33; Lc 5.8; 24.52). Deus ordenou que Jesus fosse adorado (Jo 5.23,24; SI 2.12; Fp 2.10). Todo o céu o adora (Ap 5.13,14).

4. Jesus possui a natureza divina

a) Jesus é Santo.

Era chamado "Santo" (At 2.27; 3.14; 4.27). Ele fazia sempre o que agradava a Deus (Jo 8.29). Amava a justiça e aborrecia a iniqüidade (Hb 1.9). Não conhecia pecado (2 Co 5.21), era imaculado (Hb 7.26), sem mancha (1 Pe 1.19) e puro (1 Jo 3.3).

b) Jesus é o amor, o seu amor excede o entendimento humano (Ef 3.19) o seu amor era maior, porque dava a sua vida pelos seus amigos (Jo 15.13) Jesus mostrou o seu amor para com o seu Pai (Jo 14.31) querendo em tudo fazer a vontade do seu Pai (Jo 6.38; SI 40.9; Jo 4.24). Ele amou o mundo entregando-se por nós em sacrifício (Ef 5.2), sendo nós ainda pecadores (Rm 5.6,8). Cristo amou a igreja (Ef 5.25). "...Como havia amado os seus, amou-os até o fim" (Jo 13.1b) Jesus ama os pecadores (Lc 19.10) e até os seus inimigos (Lc 23.24).

c) Jesus é a verdade.

Ele disse: "Eu sou a verdade" (Jo 14.6). Cheio da verdade (Jo 1.14,17; 8.32), Jesus foi o Ministro da circuncisão por causa da verdade de Deus, para que confirmasse as promessas (Rm 15.8). Por isto "Todas quantas promessas há de Deus, são nele sim e por ele o Amém..." (2 Co 1.20). Ele é o verdadeiro Deus e a vida eterna (1 Jo 5.20).

5. A Jesus são atribuídas obras divinas
Este fato é também uma evidência da deidade de Jesus.
a) Jesus participou da criação do mundo (Jo 1.3; Cl 1.17; Hb 1.10; Ap 3.14).
b) Jesus sustenta a criação com a força do seu poder (Hb 1.3; Cl 1.17).
c) Jesus tem poder para perdoar pecados (Mc 2.7,10; 1 Jo 1.9).
d) Jesus ressuscita os mortos (Jo 6.39,40,54; 11.43). Jesus é a ressurreição e a vida (Jo 11.25).
e) Jesus tem poder para exercer o juízo (Jo 5.22; At 17.31; 2 Tm 4.1). 

Referência: Bergstén, Eurico, 1913- A Santa Trindade: O Pai, o Filho e o Espírito Santo. Rio de Janeiro, CPAD, 1989. Reverberação: www.subsidiosebd.com