A Igreja Católica e a Leitura da Bíblia

O Catolicismo Romano, no Concílio de Tolouse, em 1229, proibiu a leitura da Bíblia aos leigos. Com isso, a tradição passou a ter mais autoridade do que a Palavra de Deus.

Mas, segundo a própria Bíblia, é dever de todo o homem ler as Escrituras: "Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito: porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem-sucedido" (Js 1.8).

Proibir a leitura da Bíblia é privar a pessoa da mais grandiosa bênção que ela pode desfrutar — a salvação: "E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus" (2 Tm 3.15).

A maioria das seitas tem a Bíblia apenas como mais um livro de texto. Mas somos orientados pela própria Palavra a examiná-la: ‘Ora, estes [bereanos] foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica. porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim'(At 17.11).
Divulgação: Blog Novas Lições | Artigo: Bíblia Apologética de Estudos - ICP